-

cinco momentos de inspiração #1


Eu estou sempre em busca de algo que consiga despertar meu lado criativo. Minha jornada começa olhando para o passado: releio textos antigos, vejo fotos esquecidas e releio conversas que guardo para revisitar sempre que possível.
No processo, sempre acabo me frustrando de uma maneira ou de outra: será que um dia eu conseguirei atingir a mesma qualidade do que produzi no passado? ou então, como é que ninguém me disse que eu era tão pedante?

Aí eu resolvo ver o que os outros estão produzindo de bom por aí. Vou fazer isso já preparada para me odiar (já que eu nunca farei nada tão bom) e sempre saio surpreendida, renovada e feliz.
Quando criamos, é muito importante olhar para algo que não seja o próprio umbigo. Pensando nisso, resolvi que criarei (mais uma) série esporádica de posts com coisas que realmente me inspiraram nos últimos tempos.

Resumindo: vocês sabem que eu amo a arte de compartilhar e agora quero falar um pouco do que anda me inspirando. Olha só:

01. Eu estava em uma pequena ressaca literária quando comecei a ler Please Don't Tell, livro de estreia da Laura Tims. É um livro sobre vingança, segredos, assassinatos e irmãs gêmeas, ou seja, todos os ingredientes para me deixar grudada em suas páginas.
Existem tantas frases incríveis nesse livro que eu nem consigo escolher qual é meu "quote" favorito. Por enquanto (já que ainda não terminei), vou ficar com esse que me descreveu tão bem:

Laura Tims - Please Don't Tell

02. Sempre que estou me sentindo um pouco devagar, tento me afastar de qualquer responsabilidade e assisto um bocado de TED Talks. Sem sombra de dúvida, é um exercício poderoso para aumentar minha autoconfiança, vontade de viver e criatividade no geral.
Eventualmente, encontro uma palestra que realmente mexe comigo e esse é o caso do TED da Lidia YuknavitchA beleza de ser uma deslocada. Recomendo para todos que estão se sentindo um pouco fracassados na vida e que não conseguem enxergar a beleza que existe até mesmo em nossos erros. 

03. Eu assisti Scream (o seriado) e curti bastante. Sério, não é nada life changing, mas eu gosto muito do gênero slasher e nunca pensei que alguém conseguiria traduzi-lo tão bem para o formato de seriado. É bacana, conseguiu me distrair e agora estou na segunda temporada com várias teorias mirabolantes sobre a identidade do novo assassino (gosto de coisas assim: que não me abandonam nem depois que eu termino de ver).


04. Já faz um tempo que Lumberjanes está na minha lista de leitura e eu resolvi que tomaria vergonha na cara e leria os dois primeiros volumes (que contém as edições #1-8).  Sério, acho que essa foi a coisa mais colorida, inspiradora e incrível que li nos últimos tempos.
Eu nem sei como sintetizar a trama, já que ela é tão rica e TANTAS coisas ocorrem (escoteiras, deuses gregos, animais sinistros, uma senhora que se transforma em urso e etc) que acho melhor só deixar aqui a recomendação para vocês e espero que curtam tanto quanto eu.

05. Para quem teve a sorte de viver debaixo de uma pedra durante a última semana (você é muito sortuda) e não acompanhou os ataques horríveis que a atriz Leslie Jones sofreu no Twitter, você pode ler mais a respeito aqui. Mas eu não quero encerrar essa lista com um momento de ódio. Quero fechar esse "momentos de inspiração" exaltando a resiliência da Leslie.

E com esse brilhante ensinamento, eu encerro o post. Vamos deixar que todo o amor que sentimos fale mais alto que todo esse ódio. BE LOUDER!

Arte: Shutterstock
Mia Fernandes

lidando com a rejeição amorosa


Quem aí já foi a última a ser escolhida no time da escola? Quem já perdeu uma promoção no trabalho para um colega? Certeza absoluta que você já foi deixada de fora da lista de convidados da festa de aniversário de alguém (que você jurava ser seu amigo). A verdade é que de uma forma ou de outra, todas nós já passamos por alguma forma de rejeição em nossas vidas. Então, por que parece que o mundo vai acabar quando somos rejeitadas no âmbito amoroso?

Fato: ninguém gosta de ouvir que não é o suficiente para outra pessoa. Como alguém que já passou por isso, só consigo traduzir a sensação como se tivessem rasgado minha carteirinha de ser humano e jogado pela janela.

Mas será que isso é mesmo o fim do mundo? Será que alguém vai nos amar novamente? Como é que tira o Greatest Hits da Céline Dion do repeat?

Essa é a parte em que eu gostaria de dizer que tenho uma solução mágica para tudo isso. Infelizmente, creio que ninguém ainda decifrou completamente a fórmula para superar uma rejeição. A boa notícia é que existem mil maneiras de enfrentar e superar essa fase  (que definitivamente não é o fim da sua vida). Olha só:



1) Racionalize
Pois é, logo de princípio já vou pedindo o impossível de você. Mas realmente tente segurar essa vontade de gritar a letra de All By Myself na janela do seu quarto e realmente pense no que está ocorrendo.
Você foi rejeitada. Isso quer dizer que a outra pessoa não quer estar em um relacionamento com você. Ou seja: o relacionamento pelo qual você está sofrendo não existe mais (ou simplesmente nunca existiu). Entenda que você está assim por uma versão imaginária de um relacionamento que acabou.
Quanto antes você compreender tudo isso, melhor será.

2) Não alimente falsas esperanças
Quem é que depois de levar um belo fora, não foi lá e pensou: Mas espera só eu perder dez quilos, certeza que fulano vai voltar rastejando pra mim.
Pare de concentrar seu tempo, esforço e sentimentos em uma pessoa que te rejeitou. Você pode continuar uma amizade (se conseguir), mas definitivamente não faça isso somente para poder manter acesa aquela chama do "quem sabe um dia".



3) Acontece com todo mundo
Eu sei que em nossos momentos de ~pura dor~, o universo parece conspirar exclusivamente contra você. Entretanto, a verdade é que todo mundo já passou por isso alguma vez. Procure um amigo, irmão ou até mesmo sua mãe para desabafar. Te garanto que todos eles tem uma história parecida de sofrência.

4) O problema não é você
Se você não quiser acreditar em nada do que escrevi até agora, te peço que tente levar apenas uma coisa em consideração: você não é, nunca foi e nunca será o problema.
O "problema" em questão é que a outra pessoa está em um momento diferente da sua jornada e está buscando outras coisas. Entenda que "outras coisas" não significa que você tenha que mudar para se adequar ao gosto de uma pessoa.
Já dizia Bruno Mars: You're amaaaaazing, just the way you are.

5) Entenda o que você está sentindo
Por mais tentador que pareça ser simplesmente sufocar qualquer sentimento antes que ele se manifesta, isso está muito longe de ser a solução saudável. Você precisa entrar em contato com cada um dos seus sentimentos e entender melhor como tudo isso te afeta.
Procure uma terapeuta, seu melhor amigo ou até mesmo o apoio de um diário. Desabafe sem nenhuma vergonha do que você está sentindo naquele instante.
Essa é uma maneira muito eficaz de cuidar dos seus sentimentos e saber quando você estará pronta para se apaixonar novamente.

Agora eu quero saber: como você lida com uma rejeição amorosa? Me conte tudo nos comentários!
Mia Fernandes

cinema: tangerine (2015)


Tangerine, em referência ao pôr do sol na cidade dos sonhos Los Angeles, é um longa-metragem filmado completamente com 3 iPhones 5s, lançado no Festival Sundance em 2015, dirigido pelo norte-americano Sean Baker. Foi lançado e distribuído nos Estados Unidos pela Magnolia Pictures.

O longa estrela as atrizes trans Kitana Kiki Rodriguez e Mya Taylor, ambas eram prostitutas e viram suas vidas mudarem após o filme. No início deste ano, Mya fez história ao ser a primeira trans vencedora de uma categoria no Film Independent Spirit Awards, levando para casa o prêmio por melhor atriz coadjuvante. Emocionada, em seu discurso de agradecimento, Mya deixou um recado importante: “There's very beautiful transgender talent. So, you better get it out there and put it in your next movie”.

O filme começa com a forte energia de Sin-Dee, que acabou de ser liberada após passar 28 dias na prisão. Ela está tomando café da manhã com a melhor amiga Alexandra e sai em disparada pela cidade à caça de uma mulher com quem seu noivo supostamente a traiu. Inicia-se então uma aventura trágica, com momentos hilários, pela Los Angeles que movimenta o miolo da Santa Monica Blvd e da Highland Avenue

Ao longo desde único dia, que, por sinal, é a véspera de Natal, somos envolvidas também pela trama de outras personagens. A própria melhor amiga de Sin-Dee, Alexandra, trabalha duro angariando vizinhas, conhecidas, amigas e até rivais de trabalho para comparecerem ao seu show de debute como cantora. Razmik, um taxista armênio, ronda em busca de clientes e de maneiras de extravasar seus desejos durante o dia e pela noite precisa lidar com a esposa, a filha pequena e ceia de natal da sogra, enquanto o que quer mesmo é escapar e chegar a tempo ao show de Alexandra.

Há violência, ofensas, miséria, agressão, pobreza, desespero e frustração nessa rotina de um lugar que parece a primeira vista, degradante. Mas, é neste lugar que as pessoas formam laços umas com as outras, é ali onde alguns conseguem vivenciar seus desejos mais secretos, outros conseguem expor o que não querem mais esconder de ninguém, onde encontram humor na desgraça e cantam Destiny’s Child no meio de uma discussão, porque é neste lugar em que se sobreviveu a mais um dia. A grande conquista na maioria dos nossos dias é essa, sobreviver a mais um dia. Sobreviver a mais um dia naquele lugar, sendo você, com toda a sua força e as suas tragédias pessoais é o gran finale que consigo ver no filme (e na minha vida, afinal).  

O final dá a sensação de um abraço na alma, o abraço em que Alexandra aconchega a amiga Sin-Dee é o sentimento que todos queremos vivenciar ao final do dia. Um abraço que te aceita como você é, com a peruca loira, a morena, ou sem peruca nenhuma, do que te é familiar e esteve com você em mais um dia que não foi dos seus melhores, pega sua mão depois das perdas e te ajuda a começar de novo, e de novo e de novo. Que te envolve com o sentimento de fica tranquila, você está em casa.


Mia Fernandes

wishlist: self-care


Com a correria do dia a dia, muitas vezes acabamos negligenciando o bem estar de nosso corpo e mente. Já falei por aqui sobre a importância de dedicar um tempinho para o famoso self-care e até mesmo sugeri algumas ideias de coisas simples que você pode fazer.
Mas se você está com um dinheirinho sobrando e quer realmente levar esse lance de cuidado próprio para outro nível, preparei uma wishlist cheia de itens especiais que vão te ajudar a relaxar e curtir bastante.

Olha só:

1. Máscara para Rosto e Corpo Magnaminty 125g // Lush // R$ 53,20 
2. Chá de Banho Chá Verde 300g // The Body Shop // R$ 109,00
3. Difusor de Aromas 300ml - Romã da Turquia // La Façon // R$ 112,60 
4. Bath Salts Sel De Bain Pour Les Pieds 350g // Sephora // R$ 102,00
5. Chá Coconut Mate 20g // The Gourmet Tea // R$ 25,90
6. Chocolate Lindt Lindor Extra Dark 100g  // Emporium da Gulla // R$ 20,99 
7. Vela perfumada Jasmin & Bergamota // L'Occitane // R$ 165,00 
8. Máscara de Dormir Onça Rosa // Imaginarium // R$ 29,90 

Agora eu quero saber: com qual frequência você cuida de si própria? Me conte tudo nos comentários!
Mia Fernandes

links, links, links #3


Eu sou uma pessoa que ama passar horas e mais horas perdidas num labirinto de links. Existe tanta leitura interessante e de qualidade por aí, que eu não me contento apenas em ler e esquecer: gosto de registrar e eternizar tudo o que é bom na internet.
Foi assim que nasceu a ideia de compartilhar meus links favoritos com vocês. É uma forma de passar adiante o que eu considero ser leitura de qualidade e ao mesmo tempo, poder voltar e reler tudo isso.

É por isso que é com muito prazer que estou aqui mais uma vez com outro apanhado de links! Espero que vocês apreciem esses artigos/matérias:

✓ Why Does Hollywood Keep Disrespecting Melissa McCarthy? // Vulture
"No other woman or man unaided by a franchise in the last five years has emerged from nowhere to become such a completely dependable movie star, appearing in one successful film after another and regularly creating product that turns a profit, while maintaining a successful foothold in TV as well."

✓ Bullish Q&A: How Can I Defend Feminist Ideas If I'm Terrible at Arguing? // Get Bullish
"But for the most part, people don’t change their minds on the spot – they like to change slowly, later, while pretending you had nothing to do with it."

✓ A importância de reconhecer suas qualidades // Capitolina
"O que está em questão nesse texto é a falsa modéstia expressa todas aquelas vezes em que negamos nossas habilidades perante os outros. É o sentimento que nos impede de dar voz aos nossos pensamentos perspicazes numa aula, que nos deixa com vergonha de entrar num concurso quando nós sabemos que somos capazes, que nos mantém caladas."

✓ We regret to inform you that the remainder of 2016 has been cancelled // Medium
"We regret to inform you that due to extremely low approval ratings and disappointing performances in almost every category, the remainder of 2016 has been cancelled. We understand that this may cause some confusion as well as rebooking of vacation plans, but we’re going to go out on a limb and assume that like us, you’ve just fucking had it with this already."

✓ What People Still Just Don't Get About "Social Influencers" // MTV
"The statements of this social media executive (and of Gawker) couldn’t be further from reality — social media influencers aren’t going to “disappear” anytime soon. (In fact, micro-influencers are rising in number on Instagram.) And if you believe that they are and you work in media, you should maybe consider another career path. Brushing off the significance of social media influencers doesn’t make you look funny or edgy — it makes you look like you don’t understand the Internet."

✓ Tudo o que a cultura pop nos ensina sobre o amor é mentira // Trendr
"Nós crescemos assistindo à comédias românticas impossíveis, ouvindo músicas sobre amores perfeitos e lendo romances que exaltam sacrifícios como provas de amor. Tudo isso, assimilado durante a adolescência como comportamento comum, nos parece caminho inevitável na vida adulta. Neste mundo de fantasia, construído pelo entretenimento, amar envolve muita entrega, renúncia e, principalmente, esperança. Mas chega a ser irônico que a esperança, ao mesmo tempo em que nos serve de motor para continuar, também é o que muitas vezes nos fode."

✓ Why Do We Teach Girls That It’s Cute to Be Scared? // NY Times
"When I worked as a firefighter, I was often scared. Of course I was. So were the men. But fear wasn’t a reason to quit. I put my fear where it belonged, behind my feelings of focus, confidence and courage. Then I headed, with my crew, into the burning building."

✓ Carrie Bradshaw Almost Screwed Up Relationships for Me // Man Repeller
"This panoply of women genuinely believe that anxiety, frustration, question marks and turmoil make up what relationships are supposed to look like."

✓ Tamo Junta // Confeitaria Mag
"O tempo passou e com ele eu aprendi que as mulheres não são minhas inimigas, que eu não preciso competir com elas e, principalmente, que não existo para agradar homem. Que coisa maravilhosa é saber disso. Que pena ter demorado tanto para aprender."

✓ What Does A Millennial Look Like? // The Awl
"The identity of young people has always been defined by those with the resources to speak loudly and publicly about them."

✓ Como erros, boatos, mentiras e pegadinhas na Wikipédia afetam o mundo real // VICE Brasil
"E é bom se acostumar com a ideia de desconfiar sempre do que lê pela internet. Esses problemas vão continuar acontecendo e são reflexo de uma mudança na humanidade, que está migrando da cultura do modelo centralizado para o descentralizado, segundo Ariel Kogan, diretor-executivo da Open Knowledge Brasil, uma organização que advoga pelo conhecimento livre."

✓ Para que fique claro // Huffington Post
"Para que fique bem claro: não estou grávida. O que estou é de saco cheio. Estou de saco cheio da fiscalização de corpos e humilhação de pessoas que acontecem diariamente disfarçadas de "jornalismo", "liberdade de expressão" e "notícias sobre celebridades"."

Apresentação da patinadora Evgenia Medvedeva inspirada em Sailor Moon


Para finalizar, alguém aí se lembra do Divulgando Blogueiras? Estou falando daquele grupo que criei para divulgar o trabalho de blogueiras iniciantes. Além de criar um espaço para que elas pudessem divulgar seus novos posts, eu também pretendo ajudar na divulgação e propagação do conteúdo dessas meninas.

Então, não deixem de visitar o Lipstick and Polaroids, o primeiro escolhido para aparecer por aqui. O que mais me impressionou é que a blogueira (Nicoly) só tem 15 anos e já está fazendo conteúdo com bastante qualidade. Vale a pena conhecer!

Arte:Yelena Bryksenkova
Mia Fernandes