-

Over The Rainbow - Um Livro de Contos de Fadxs


Não temos tantas opções de romance com temática LGBT quanto gosta-ríamos, não é mesmo?

Até temos algumas, mas são poucas e ainda não são tratadas com a mesma importância da qual livros distantes da temática LGBT desfrutam. Tudo bem que autores de grandes best-sellers, como John Green, acompanhado de David Levithan (ou é o contrário?), autores de “Will & Will”, e Benjamin Alire Sáenz e Clemente Pereira, autores de “Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo”, tentaram fazer a sua parte ao lançar romances com temática LGBT (embora eu possa julgar que um deles não passe de bromance), mas, fora esses, é difícil conseguir pensar em mais algum.

Nesse caso, seria melhor que eu fizesse uma pesquisa para enriquecer esse texto e poder listar bons exemplos para quem procura uma boa leitura com temática LGBT para os próximos dias, mas vale ressaltar que essa não é a minha intenção aqui. Além do mais, a necessidade dessa pesquisa, por si só, deixa claro que, por ora, quem quiser um bom livro que trate de romance entre pessoas do mesmo sexo (e que não seja um romance puramente erótico) ainda não vai encontrá-lo com facilidade nas estantes que ficam na entrada das grandes livrarias.

Cenário esse que pode ter mudado um pouquinho com o lançamento de Over The Rainbow, da Editora Planeta.

Apesar do título em inglês, o livro é nacional e, acreditem, agrega um total de cinco contos com temática LGBT. Fiquei sabendo da sua publicação por acaso; acompanho o trabalho da drag queen Lorelay Fox no YouTube há um tempo e, graças a ela, descobri o lançamento do livro. Não foi merchandising da parte dela: Lorelay também é um dos autores da obra. E isso me empolgou.

Porque (e aqui vou fazer uma introduçãozinha sobre ela) a Lorelay é esse tipo de drag queen brasileira que não existe em grande número no meio e tampouco se encaixa nos padrões que se espera de uma drag queen. É provável que você não a encontre batendo cabelo, como muitas outras que ganham fama em cima disso costumam fazer, mas, se procurar seu nome no Google ou até mesmo no YouTube, vai encontrar centenas de imagens suas muito bem montada – como se espera de uma drag queen.


Mas não foi o visual da Lorelay que chamou a minha atenção: foi o seu discurso. Em tempos em que canais do YouTube com formadores de opinião sobre os mais diversos assuntos se tornaram tão populares, Lorelay aproveitou o mercado para criar um canal que fala de um assunto que ainda não era tra-tado com a devida seriedade ou dedicação: a comunidade LGBT.

Trabalho esse que é tão bem feito e foi tão bem reconhecido por milhares de pessoas que lhe rendeu o convite para fazer parte da coletânea de contos do livro de que falo aqui. E não foi só o dela: Renato Plotegher Jr., Maicon Santini e Eduardo Bressanim também têm a sua popularidade no YouTube, enquanto que Milly Lacombe, escritora e jornalista, já tem a sua quantidade de livros LGBT publicados (e aqui fica mais uma indicação!).

Over The Rainbow traz cinco releituras de clássicos da literatura infantil em que seus protagonistas agora são lésbicas, gays ou transexuais (não temos bissexuais, por enquanto). Aqui, as histórias de Cinderela, João e Maria, Bela e a Fera, Rapunzel e Branca de Neve foram reimaginadas não só para incluir os personagens coloridos, mas para adequá-los à realidade de hoje em dia. A intenção do livro é maravilhosa!

E alguns dos seus contos também o são. Estou falando de histórias que não escondem o preconceito que gays e lésbicas sofrem diariamente, e algumas delas têm justamente esse tema como premissa. Também são retratadas as dificuldades que a comunidade LGBT sofre no cotidiano não só ao ter que lidar com estranhos, mas com aqueles que, muitas vezes, dividem o mesmo teto que eles. Para aqueles que não fazem parte dessa realidade, o livro acaba oferecendo uma palhinha da ainda dura realidade que é ser gay, o que pode tocar a empatia de alguns. Para aqueles que se reconhecem nos personagens retratados, acaba sendo uma ótima maneira de ver que alguns dos seus problemas não são só seus.

O livro só peca um pouco na inexperiência de alguns dos autores. Algumas das histórias têm ótimas intenções, mas uma execução muito ruim, deixando claro que nem todos ali sabem muito bem o que estão fazendo ou até que nunca tinham pensado em escrita até que o convite para fazer parte do livro lhes foi feito. Mesmo assim, para outros, o dom da escrita se manifesta de forma tão mágica e envolvente que fica até difícil acreditar que essa foi a primeira vez que o autor se submeteu à escrita de um conto de quarenta páginas. Estou falando de você, Lorelay!

No final das contas, é um livro que informa, em grande parte, que conversa bem com a realidade de quem faz parte da comunidade LGBT e que até pensa em divertir o leitor. A sua publicação é um sopro de esperança para aqueles que enchem sites de fanfiction com suas histórias yaoi e yuri (eu!), porque aqui, pelo que julgo ser a primeira vez, vemos um livro com temática gay se esforçando para ser popular, ao invés de tentar ser só mais uma cartilha informativa sobre um tema ainda tratado como tabu por muitos. Fico alegre, inclusive, em ver o trabalho de divulgação da Planeta com esse livro, que cria eventos de autógrafos (com centenas de fãs presentes) e acaba por motivar a descoberta da obra. Isso, a meu ver, ainda é inédito quando se fala de livros com temática LGBT – e até quando se fala de livros nacionais.

É também um bom uso dessa recém-criada categoria dos catálogos literários: os chamados livros de youtubers. Em épocas em que muitos criticam enquanto milhares consomem esse tipo de literatura, é uma boa maneira de usar a fama desse novo tipo de famoso da internet para trazer um pouco de diversidade para o mercado.
E é um tiro certeiro.

E para quem quiser conhecer um pouco mais da Lorelay Fox e se apai-xonar pela maneira como ela fala de assuntos tão importantes, esse é um dos seus vídeos mais famosos: uma explicação detalhada da diferença entre travestis, drags e transexuais. Vale o play!




Over the Rainbow 
Vários Autores
Editora: Planeta
(3 de Maio de 2016)
Idioma: Português
Compre aqui




Mia Fernandes

momento de gratidão #3

Como a boa humana cheia de falhas que sou, tenho certa dificuldade em transformar rituais em hábitos. Um belo exemplo disso é como esqueci meu caderninho de gratidão em um canto ermo do meu armário.

Quando resolvi fazer aquela faxina básica em meus pertences, fiquei muito surpresa ao reencontrar aquele pequeno exercício de agradecimento ao universo. Ao folhear rapidamente as páginas já preenchidas, fiquei admirada com a maneira descomplicada que eu encarava meus dias.

Como é que eu poderia colocar experimentar um sabor novo de frapuccino como ápice do meu dia? Após pensar um pouco, resolvi reformular a pergunta e cheguei à conclusão: por que meus dias não poderiam ser mais simples ao ponto de um simples frapuccino conseguir transformar o meu humor?

Por isso, resolvi que retomaria o hábito de anotar diariamente cinco motivos da minha gratidão. Para me manter firme e forte nesse propósito, compartilharei sempre que possível esse ritual com todos vocês.

Eu sou grata por...

Episódios antigos do Nerdcast
Por mais que eu não escute tanto o que um dia foi o meu podcast favorito, gosto de deixar episódios antigos rolando, enquanto executo tarefas básicas do dia. O sentimento que tenho é como rever Chaves após certo tempo: já sei como a piada vai acabar e mesmo assim acho tudo muito engraçado.

Dias mais quentes
Aqui em São Paulo, fomos agraciados com uns dias de temperatura gostosinha e céu azul. Nem preciso dizer como meu humor melhora ao abrir a janela e me deparar com um dia tão bonito em pleno inverno.

Paçoca
Eu amo essa época do ano e um dos motivos são as festas juninas/julinas. Pra mim, o que há de melhor nelas é que rola paçoca (que está no meu top five doces) em abundância.

Sobriedade
Resolvi cortar pela metade meu consumo de álcool e nem preciso falar dos inúmeros benefícios que isso vem trazendo pra minha saúde. O melhor de tudo é que desde que tomei essa decisão, venho me sentindo cada vez mais autossuficiente e já não vejo a necessidade de estar embriagada em todos os eventos sociais.

Minha newsletter
Já mencionei que tenho uma newsletter? Amanhã sai a quarta edição e estou adorando poder divagar sobre o fandom na caixa de correio de cada um de vocês que a assinam.


Gifs
Com a ajuda do Rennan (o novo colaborador do blog), eu finalmente aprendi a fazer gifs e estou me divertindo demais com isso. Minha nova terapia é criar gifs para as minhas famílias do The Sims.

Vivendo sem a ajuda de antidepressivos
Desde que parei com a bebida alcoólica, estou me livrando aos poucos do meu antidepressivo. Acredito que o remédio foi essencial para a minha sobrevivência durante os últimos anos, mas confesso que estou muito feliz com essa claridade de pensamento que atingi recentemente.

Um delivery incrível de hambúrguer
Uma alma empreendedora e muito boa, resolveu abrir um delivery maravilhoso de hambúrguer gourmet aqui na vizinhança. Tô mais gordinha e 100% mais feliz após tal descoberta.

Agora eu quero saber: quais são os seus motivos de gratidão? Me  conte tudo nos comentários!
Mia Fernandes

cinco lugares incríveis no airbnb


Quem aí não curte ficar planejando férias imaginárias no Airbnb? Se você não está familiarizado com o serviço, trata-se de uma plataforma comunitária que conecta viajantes com donos de imóveis que querem alugar suas casas (ou até mesmo cômodos dela) por certo período de tempo. 

Particularmente, adoro ficar horas e horas perdida no site, cobiçando locais que quero conhecer, salvando fotos no Pinterest e aguardando ansiosamente o dia em que ficarei rica para viajar o mundo todinho! 

Se você também sofre com esse caso de wanderlust agudo, vem ver alguns locais bacanas que estão no topo da minha wishlist de férias:

Casa de Bambu - Bali, Indonésia
Único // Silencioso // Reservada // Espaçoso // Pitoresco
R$1106 por noite

Imagina como deve ser incrível poder largar todas as responsabilidades dessa vida e se hospedar nessa casa de bambu na ilha de Bali? Toda a casa está disponível para aluguel e comporta até mesmo 8 hóspedes em seus três quartos.

Reservada // Pitoresco // Único // Silencioso // Moderno // Privada
R$1293 por noite

Já consigo me imaginar curtindo a Califórnia e voltando pra esta casinha para poder descansar com bastante privacidade (reparem nas fotos como ela é isolada de tudo). Ela suporta até 4 hóspedes e possui dois quartos.

R$34016 por noite

Talvez vocês reconheçam essa casa como o lugar onde a Beyoncé ficou hospedada durante o Super Bowl. Pois é, as chances de que um dia eu consiga passar uma mísera noite neste lugar são poucas, mas quem sabe se eu juntar uns 10 amigos?

R$27213 por noite

Quem é que nunca sonhou em ficar hospedada em uma locação de filme? Entre os diversos títulos que já foram gravados na localidade, podemos citar: The Following, Saturday Night Live, Gotham, Tombstones e muitos outros. Dá pra dividir o precinho salgado do aluguel entre 16 hóspedes!


R$8667 por noite

Dentre as casas mais $$$$, essa está com um precinho mais camarada e não envolve ganhar na loteria para poder desfrutar todo esse luxo. Além de possuir essa piscina fenomenal e uma vista que vale a hashtag #nofilter, essa mansão também aceita 10 hóspedes.
Um sonho, não é mesmo?

Agora eu quero saber: você tem uma wishlist de casas incríveis no Airbnb? Compartilhe comigo nos comentários!

Mia Fernandes

reflexões sobre a amizade


Sob o prisma científico, cada ser humano é único por suas características genéticas e psicológicas. Então, qual a explicação lógica para a necessidade quase voraz que possuímos pela adequação e socialização?

Desde o momento em que nascemos, somos inclusos em círculos sociais que acabam por ditar muitos de nossos dogmas e paradigmas. Ainda que alguns tenham a infelicidade de desenvolver a antropofobia em algum ponto da vida, estamos indubitavelmente destinados a padecer em uma selva de egos pela eternidade humana.

Um dos primeiros contatos sociais que um ser humano tende a fazer é com a própria família. Incumbidos de instituir valores e ser um pilar emocional para muitos, nossos elos familiares são responsáveis por muitos aspectos subsequentes da nossa vida social.
Entretanto, existe uma diferença implícita entre nossas relações familiares e a selva de egos. Enquanto uma é um tratado social baseado na vivência diária e aprendizado contínuo, a outra torna-se um pacto de sobrevivência em que muitas vezes o aprendizado é sobrepujado pelo gozo próprio.

Uma vez livres na supracitada selva de egos, tendemos a buscar uma forma de refúgio que aumente nossas chances de sobrevivência na mesma. Buscamos nossos iguais para que nos auxiliem nos mais diversos aspectos de nossa singular existência. Tal como disse Voltaire em Dicionário Filosófico:


Por mais piegas que tal alegoria possa soar, amigos acabam por tornar-se a família que escolhemos no mundo. Os amigos nos acolhem, nos fazem sentir confortáveis e preocupam-se com nosso bem estar.
Por lhe acolher, o seu amigo não necessariamente passará a mão na sua cabeça quando você estiver errado. Seus verdadeiros amigos serão os primeiros a aumentar o tom de voz para ressaltar que não é assim que o mundo funciona. Por mais incômodo que possa ser, seus amigos lhe contarão a verdade e tentarão restaurar as noções de bom julgamento que existem dentro de você.
Um amigo nunca irá rir da sua dor por mais patética que ela possa ser. Todavia, um amigo pode também lhe provocar uma dor a qual você não imaginava ser capaz de suportar. Só uma verdadeira amizade pode causar uma dor tão real.

Existem pessoas pelas quais eu iria até o fim do mundo se assim fosse necessário. Amizades que resistem à distância, às rusgas e à toda inveja de um mundo banal. Os laços de sangue fazem com que eu ame minha família num limite surreal, porém, a convivência com meus amigos fez com que eu aprendesse a amar e respeitar o outro como a eu mesmo.
Mia Fernandes

wishlist: maquiagem nacional


Tá querendo dar uma atualizada na nécessaire? Que tal buscar algumas alternativas bem brasileiras e dar uma diversificada em sua coleção?
Como estou nessa vibe de consumir mais produtos nacionais, fui em busca de algumas marcas bacanas que estão comercializando umas opções bem legais de make e encontrei tanta coisa interessante que quase não coube na wishlist!

Para quem está buscando opções com um bom custo/benefício, olha só quanta coisa legal:

1. Caneta Batom Eudora Coral Luxo 2,5G // R$ 33,99 // The Beauty Box
2. Batom Líquido Mate // R$35,90 // quem disse, berenice?
3. Make B. Urban Ballet Duo Blush Compact Pile // R$ 58,90 // O Boticário
4. Sombra Quarteto Poderosa Dailus Color // R$ 19,90 // Maquiadoro
5. Face Balm - Yes Cosmetics! // R$ 35,90 // Maquiadoro
6. Blush Your Face Coral Peach - Blush em Pó 9,3g // R$ 30,99 // Beleza na Web
7. Paleta de Sombras Diva Blog Pausa para Feminices // R$ 83,99 // t.blogs
8. Batom Liquido Matte - Max Love // R$ 11,99 // Candy Acessórios

Agora eu quero saber: você usa marcas brasileiras? Quais são as suas favoritas? Me conte tudo nos comentários!
Mia Fernandes