-

como reconhecer o abuso emocional


Por muito tempo, minha ideia do que seria um relacionamento saudável era bem distorcida. Sempre acreditei que desde que eu estivesse com alguém, as circunstâncias não importavam muito. Se a pessoa estava ali comigo, esse era um sinal claro de que "existia amor" ali.

É óbvio que eu estava enganada. Com essa visão limitada do que era estar em uma relação, eu deixei me envolver em situações desconfortáveis, com homens cujo nível de manipulação estava tão anos luz à frente, que em minha cabeça, era impossível reconhecer os sinais óbvios:

- Excesso de controle
No meu caso, tudo começou de maneira muito sútil: o cara queria saber quem eram todos os meus amigos e quando percebi, já estava querendo ditar com quem eu deveria e não deveria sair. Tente entender a diferença entre "querer saber da sua vida" e "querer controlar cada passo que você dá".
Se a palavra final em suas decisões é a do seu companheiro, fique alerta.

- Exagero
Outra coisa que percebi, era que tudo fugia de um padrão aceitável com esses caras. Você já se deparou com 80 chamadas perdidas em um curto período de tempo? Já lidou com alguma reação exagerada para algum comentário banal? As ameaças de término eram constantes e usadas para reforçar a vontade do seu par?

- É tudo sua culpa
O manipulador é extremamente eficaz ao realocar a culpa de todos os acontecimentos do universo para você. Se estar com seu/sua parceirx é estar constantemente esperando por qual será o seu próximo "deslize", fique esperta e reavalie as situações passadas: será que você estava mesmo errada?



- Ciúmes
O que é perfeitamente aceitável em doses saudáveis, foge totalmente do controle quando o parceirx é abusivo. No meu caso, o que mais me alertou para o comportamento estranho de um dos meus namorados, foi o fato de ele tentar demonizar o meu melhor amigo sempre que encontrava uma brecha. Logo, o ciúmes escalou para: todos os homens na sua vida estão querendo você (inclusive os homossexuais e os namorados das minhas amigas).

- Medo
Por fim, o que realmente me alertou era um sentimento que se apoderava de mim: o medo. Eu tinha medo de encontrá-lo. Medo de contar como foi meu dia. Medo da reação dele. Medo de terminar o relacionamento. Se você vive o seu namoro com medo, alguma coisa muita errada está acontecendo.

Esses são os sinais básicos de que você está sofrendo abuso emocional. Por fim, é importante lembrar que você se sente ameaçada, existem algumas atitudes que precisa tomar:



- Conte para as pessoas próximas
Informe seus pais da situação (eles podem até ficar bravos, mas ninguém se preocupará mais com você do que eles). Avise aos amigos do que está acontecendo e não tenha medo de solicitar a companhia deles para não ficar sozinha.

- Não apague nada
Eu sei que na raiva, a primeira coisa que queremos fazer é deletar todas aquelas conversas horríveis do nosso Whatsapp. Não delete! Faça backup de tudo e diga aos seus amigos onde eles podem achar esses arquivos em caso de emergência.

- Toda cautela é pouco
Quando eu finalmente terminei um dos relacionamentos abusivos em que me envolvi, mudei completamente minha rotina (fazia um caminho diferente para o trabalho, saia mais cedo da faculdade e parei de frequentar os mesmos lugares). Eu sei o quanto é frustrante mudar sua vida por conta de alguém, mas se você tem medo de qualquer tipo de retaliação, talvez se sinta mais segura com a rotina nova.

Enfim, essa situação nunca é fácil e por muitas vezes, queremos nos enganar e colocar a culpa do comportamento abusivo em uma fase que nunca termina. Seja forte, busque ajuda em seus amigos e familiares e sempre busque o melhor pra você!
Mia Fernandes

três cantoras que você precisa conhecer


Olá, meninas!

Existe jeito melhor de curtir a sexta-feira do que curtindo música nova? Desde que eu finalmente me rendi e assinei a versão Premium do Spotify, passo boa parte do meu tempo livre em busca de artistas que eu ainda não conheço.

Nessas minhas "andanças" pelo app, já encontrei muita gente talentosa e que certamente farão sucesso em um futuro bem próximo. Hoje resolvi que compartilharia com vocês três cantoras que vivem aqui no repeat. Então, curtam o friozinho desse fim de semana ao ritmo de:

Alessia Cara
Olha, é uma responsabilidade imensa samplear a música do Isaac Hayes, visando que todos os artistas que a utilizaram anteriormente, fizeram canções maravilhosas. Mas aí é que está: do nada, chega uma garotinha e mostra que pode fazer isso e faz tão bem feito que o resultado é o maravilhoso single "Here".


Zella Day
Muitas pessoas comparam a Zella Day com a já famosa Lana del Rey, mas eu consigo enxergar uma diferença clara entre ambas: a Lana tem um estilo mais trágico e a Zella é um pouco mais fofinha. De qualquer forma, é o tipo de música que eu curto bastante e vale escutar!


Halsey
Primeiro, deixo aqui o aviso: o vídeo de "Ghost" é um pouco NSFW (ou seja, não assista no trabalho ou em qualquer lugar em que você se sinta desconfortável). Bem, quem me conhece já sabe o quanto estou viciada em Halsey e tenho certeza absoluta que a música dela vai estourar em breve nas baladas alternativas - se é que já não estourou. Vale a pena escutar o EP, Room 93 e dar uma atenção especial à minha música favorita dela: Trouble / Stripped.


Enfim, essas são as minhas três cantoras "do momento". O que você anda ouvindo de novo? Me conte nos comentários.
Mia Fernandes

os cinco melhores episódios de friends


Creio que Friends foi o primeiro seriado que acompanhei religiosamente (e essa afirmação se aplica à muitas outras pessoas da minha geração). Essa série deixou uma marca tão grande em minha vida, que toda vez que não tenho o que assistir, me organizo para poder curtir uma maratona de reprises dos episódios.

Sabe quando algo é tão bom que ainda é relevante após duas décadas de sua estreia na televisão? Isso resume bem o quão bem escrito/produzido/atuado esse seriado é!

Na semana passada, resolvi escolher meus cinco episódios favoritos para uma pequena maratona de Friends no Netflix (todas as dez temporadas do seriado estão disponíveis lá!). Olha só quais foram os selecionados:


5. The One With All the Wedding Dresses (S4)
Chandler entra numa clínica do sono, pois Joey ronca demais. Lá, Chandler conhece Marjorie, que fala durante o sono. Ross tenta falar a Rachel sobre seus sentimentos, mas ela finge que está bem . No entanto, sentindo-se meio desesperada ela tenta ir muito rápido com Joshua e o assusta. Mônica escolhe o vestido de casamento e acaba não resistindo... Phoebe e Rachel pegam o "espírito da coisa" e todos acabam usando branco. Ross e Emily planejam a data para daqui a um mês. Rachel fala com Monica e Phoebe sobre seus sentimentos não resolvidos com Ross
Melhores momentos:. A Rachel tentando avançar o relacionamento com o Joshua é hilário. Destaque especial para uma das últimas cenas do episódio, em que ele aparece no apartamento dela (aparentemente para reatar) e se depara com ela vestida de noiva.


4. The One With The Embryos (S4)
Os animais da casa de Chandler estão crescendo. Phoebe passa pela implantação de embriões no útero. Aumenta a pressão já que Frank Júnior e Alice não tem muito dinheiro. Mônica e Rachel apostam que conhecem melhor Chandler e Joey do que eles conhecem elas. Ross faz as perguntas (em estilo de game show) e as apostas são: se as garotas ganharem, os animais devem ir. Se os garotos ganharem, eles ficam com o apartamento delas.
Melhores momentos: O Ross arrasando como apresentador do game show. A competitividade insana da Monica e a Rachel estragando tudo.


3. The One With The Football (S3)
Monica e Ross resolvem jogar futebol americano por causa de uma antiga briga por um troféu que eles ganhavam quando crianças.
Melhores momentos: Absolutamente tudo. Não existe nenhum momento nesse episódio em que eu não gargalhei. Vocês lembram da cena final com a Monica e o Ross agarrados com a bola de futebol noite adentro.


2. The One Where Everybody Finds Out (S5)
O Feioso Peladão prepara-se para mudar, e Ross pretende alugar o apartamento. Phoebe, enquanto olha o apartamento com Ross, olha pela janela e vê Chandler e Mônica "se amassando". Phoebe e Rachel decidem fazer algumas brincadeiras com o casal - o que inclui Phoebe cantando Chandler. Mônica descobre e decidem entrar no jogo, para ver quem desiste primeiro. Agora todos sabem, exceto Ross... Até quando ele consegue o apartamento, olha pela janela, e tem novamente um ataque de raiva.
Melhres momentos: Phoebe tentando seduzir o Chandler e a clássica cena do final em que Ross vê Chandler e a irmã pela janela do seu novo apartamento.


1. The One With Ross's Tan (S10)
Rachel e Joey ficam nervosos antes de seu primeiro encontro de verdade e com o que poderá acontecer com o recente relacionamento deles. Monica e Phoebe iniciam um plano para ficarem longe de uma irritante velha amiga que retornou de Londres com um falso sotaque britânico. Enquanto isso, Ross tenta fazer o mesmo bronzeamento de Monica, mas acaba mesmo é provocando um desastre. Participação especial de Jennifer Coolidge.
Melhores momentos: Confesso que o único motivo desse episódio estar na lista é toda a storyline do Ross com o bronzeamento artificial. É um dos poucos episódios das últimas temporadas que conseguiu arrancar várias gargalhadas da minha parte.

Agora é a sua vez: É fã de Friends? Me conte qual é o seu episódio favorito nos comentários!

Fonte das sinopses: Minha Série
Mia Fernandes

como lidar com um amigo com depressão


Olá!

Se você está lendo esse post, imagino que neste momento esteja tentando descobrir a melhor maneira para se relacionar com um amigo depressivo. Lembrando que depressão não é sinônimo de uma tristeza comum/chateação passageira. Por diversos fatores biológicos e psicológicos, seu amigo está mergulhado em um estado de apatia/letargia que vai muito além do controle.

Quando fui diagnosticada com depressão, meu maior medo era falar abertamente sobre isso com as pessoas ao meu redor. Os cenários em que eu era obrigada a discutir o meu estado, geralmente eram acompanhados das seguintes frases:
- Você não pode estar deprimida. Pessoas deprimidas não fazem coisa X ou Y.
- Você não tem motivos para estar deprimida. Existem crianças morrendo de fome na África/países em guerra/insira aqui a maior desgraça que está ocorrendo na atualidade.

Dos mais otimistas, eu constantemente ouvia:
- Sai dessa! Vamos sair, beber, você vai melhorar! Levanta dessa cama, olha o dia lindo que está fazendo lá fora! Você consegue! + outras mil palavras de ordem com muitos pontos de exclamação.


Sei que não era a intenção de ninguém, porém, tais afirmações me faziam sentir 10000x pior.
Resumindo o samba: eu sempre optei por ficar quieta e não deixar que as pessoas tivessem conhecimento dessa parte da minha vida. Mas às vezes é impossível conseguir manter quem se importa contigo longe da verdade.

Existe uma probabilidade grande que seu amigo também esteja preso no mesmo tipo de pensamento. Se você detectar qualquer comportamento que possa indicar uma depressão, é importante respeitar o espaço dele e deixar que ele tome a decisão de ser sincero contigo.

Relembre (sempre que necessário) ao seu amigo o quanto ele é importante em sua vida e que você sempre estará lá para ouvi-lo sem nenhum julgamento.Tente escutar tudo o que ele tem para dizer e nunca diminua ou faça pouco caso do que seu amigo está sentindo.

Quando o seu amigo se abrir e a palavra depressão aparecer na conversa, é importante que você o incentive a procurar ajuda profissional.

Eu sei que sua primeira reação deve ser: eu não posso ficar aqui sentada e deixar meu amigo passar por isso sozinho. Por isso é extremamente importante que você o incentive a procurar um profissional: ele poderá diagnosticar o seu amigo corretamente e encontrará o tratamento mais apropriado.


Infelizmente, não existe uma receita de bolo para como lidar com um amigo com depressão. Pensando nisso, elaborei uma lista dos conselhos básicos para alguém que está nessa situação:

- Lembre-se: você não é o responsável pela cura do seu amigo.
Então, não precisa se esforçar constantemente inventando mil programas malucos para tirá-lo do estado depressivo. Esteja presente quando for preciso e saiba quando a solução não está ao seu alcance.

- Não estimule o vício do seu amigo.
Durante o processo de tratamento, é vital que seu amigo se mantenha longe de bebidas alcoólicas e outros tipos de drogas recreativas. Um dos poderes que a bebida tinha era "anestesiar" os sintomas da depressão durante algumas horas, entretanto, quando eu saia do estupor do álcool, geralmente enfrentava crises horríveis e que sempre se tornavam mais complicadas de se superar.

- Não ignore pedidos de ajuda.
Caso seu amigo inicie uma conversa em que dê algum indício de um comportamento suicida, interfira imediatamente! Vá para perto dele e o incentive a procurar seu terapeuta/psiquiatra no mesmo instante.

- Comemore as pequenas coisas.
Na depressão, cada pequeno passo deve ser visto como uma grande vitória. Sempre que seu amigo se sentir bem por alguma atitude que ele tomou durante esse processo, lembre-se de celebrar junto com ele. Não deixe que ele esqueça que grandes mudanças sempre começam com pequenas atitudes.

- Cuide de você.
O que você está fazendo para ajudar o seu amigo é incrível, mas não esqueça das suas necessidades. Se afaste um pouco, veja outras pessoas, se dedique aos seus hobbies e faça tudo o que puder para se sentir ainda melhor e mais disposto.

Por fim, seu amigo não está sozinho e você também não. Existem diversos grupos de apoio aos amigos e familiares (tal como a ABRATA). É importante ter um espaço para compartilhar experiências e conhecer outras pessoas que estão na mesma posição em que você se encontra.

Espero que esse post tenha sido útil para quem chegou até aqui em busca de uma resposta. Caso você tenha alguma dúvida, deixo aqui o meu e-mail para contato: conversaimaginaria@gmail.com.
Mia Fernandes

as blogueiras: anna vitória

Olá, meninas!

É com muito prazer que apresento a entrevistada de hoje da série "As Blogueiras", a Anna Vitória do So Contagious é uma das minhas blogueiras favoritas! Eu a (re)conheci em um grupo de Nerdfighters em que estávamos compartilhando nossas @ do Twitter.
Quando fui seguir a Anna, descobri que já estava acompanhando os seus tweets há um tempo e que ela era a mente criminosa genial por trás do So Contagious.

Portanto, nem preciso dizer que é uma honra muito grande poder compartilhar com vocês esse papo sobre escrita, criatividade e mulheres empoderadas, né? Olha só como foi:


1. Anna, é muito visível em seus posts que você tem um talento nato para a escrita. Como nasceu essa paixão?
Primeiro: obrigada <3 A paixão por escrever nasceu da minha paixão por ler. Eu gosto de ler desde que aprendi a ler. Sou filha única e fui uma criança muito tímida e introvertida, então sempre encontrei nos livros uma forma de experimentar o mundo de um jeito que não me assustava tanto ou então de fugir dele quando era necessário. Acho que todo mundo que gosta muito de ler sempre pensa em escrever, nem que seja pra desistir logo em seguida. Comigo foi muito natural, com 8, 9 anos eu já inventava histórias, tive um grupo de teatro com minhas amigas na quarta-série, onde a gente mais escrevia do que encenava, e com 11 anos comecei meu primeiro "livro" - que eu nunca acabei, mas que passou das 100 páginas. Com o tempo fui vendo que não era tão criativa assim, então quando descobri os blogs vi ali uma chance de escrever usando minha vida e as coisas que eu gostava como matéria-prima, e estamos assim desde então.

2. Como funciona seu processo criativo? Onde você busca inspiração?
Como é meu processo criativo: não tem processo criativo, hahaha! Como eu disse, comecei a escrever muito nova, então sempre foi uma coisa meio instintiva, ter uma ideia e colocar ali no papel. Faço assim até hoje. É claro que existem situações diferentes: às vezes estou indo dormir e um texto me vem INTEIRO na cabeça, é só eu abrir o Word e ele jorra de mim, como se fosse outra pessoa ditando e eu só copiando. Às vezes começa de um tema, "hm, vou escrever sobre guarda-chuvas" ou uma frase que me vem na cabeça e aí eu construo o resto em cima dela. Como eu escrevo principalmente no meu blog pessoal, blogs pessoais de outras pessoas costumam me inspirar bastante, mas uma coisa que nunca falha são meus livrinhos de crônicas do Antonio Prata e do Vinícius de Moraes. Acho que eu tenho um jeito de ver as coisas parecido com o dos dois, e lê-los sempre me deixa inspirada, com vontade de transformar as ideias em algo mais que isso. Mas tirando isso não tem muita regra e nem manual. Ano passado tentei participar do NaNoWriMo e lendo os fóruns do programa fiquei apavorada com as pessoas falando sobre estruturar histórias, escrever um roteiro, linha do tempo, rascunhar o básico da cena antes de escrever... Nunca tinha ouvido falar sobre isso, foi um novo mundo. Pra mim, até então, era só sentar e escrever, hahaha!

3. Você optou pela faculdade de Jornalismo, não é? Qual área desta carreira mais te interessa? 
Sim, estudo Jornalismo e ainda existe uma parte de mim ultra romântica que sonha dois sonhos lindos (e praticamente impossíveis): ser jornalistona estilo Gay Talese que vai pra lugares inimagináveis procurar histórias improváveis e escrever sobre elas, ou então dar uma de William Miller (de Quase Famosos) e escrever sobre música, shows, essas coisas. Essa parte de jornalismo literário e cultural é algo que já me chamava atenção antes do curso e são as coisas que eu mais gosto de fazer. Mas são sonhos, né? Pensando com os pés no chão, durante o curso me interessei muito pela área de ciência e tecnologia, fiz uma iniciação científica sobre comunicação pública da ciência e jornalismo científico, um ramo em que caí de paraquedas e acabei gostando muito. Minha monografia provavelmente deve seguir essa linha, e eu acharia bem daora trabalhar na área da ciência.

4. Recentemente, você fez um post maravilhoso sobre feminismo. Como você acha que a sororidade transformou sua vida? 
De novo: obrigada <3 <3 foi muito importante pra mim ter escrito aquilo, então o feedback é sempre muito especial! Acho que eu tive o privilégio de sempre ter vivido a sororidade na prática, ainda que eu não soubesse o que era isso. Eu sempre tive mulheres importantes na minha vida, e sempre tive melhores amigas. Às vezes uma, às vezes várias, mas sempre tive ao menos uma garota com quem eu sabia que podia contar. Lembro que uma vez, acho que na sexta-série, eu e minha melhor amiga começamos a gostar do mesmo menino. E aí quando confessamos isso uma pra outra, decidimos que ele ia decidir e a outra ia aceitar, HAHAHA. Claro que quando ele decidiu foi um pouco dramático, até porque eu saí perdendo, mas na hora eu tive a sensação de que eu gostava muito mais da minha amiga do que do cara, então não ia estragar nossa amizade por causa de um menino que chegou ontem na minha vida. Foi a melhor coisa que eu fiz. E hoje eu tenho amigas muito importantes na minha vida, o que está sendo incrível nessa fase tão estranha que é a ~juventude~, né? É a sensação de que tô cheia de gente ao meu redor que sabe exatamente o que eu tô passando, que tá passando aquilo junto comigo, e que eu sempre vou ser acolhida e amada ali. Pra mim a sororidade foi perceber que essa rede de proteção que eu sentia entre eu e minhas amigas deveria ser uma coisa estendida a todas as mulheres, que elas mereciam o mesmo respeito e consideração que eu tinha pelas mulheres na minha vida. Essa noção de parceria, cuidado, de julgar menos e buscar entender quem tá do meu lado, vivendo essa experiência de ser mulher no nosso mundo. Não sei se fez sentido, mas acho que me transformou por me fazer ter mais empatia pelas mulheres e vontade de ajudar até quem eu não conheço. 

5. Para finalizar ainda no tópico sobre mulheres: quem são as mulheres empoderadas cujos trabalhos te inspiram? 
Só consigo pensar em exemplos ~pop~, vale né? O primeiro que lembro é o da Chimamanda Ngozi Adichie, a escritora nigeriana que ficou famosa por suas palestras no TED e por um dos seus discursos ter sido sampleado na música da Beyoncé. Eu também conheci ela através do TED, mas foi a literatura dela que me "converteu" em fã e admiradora MESMO. Que mulher. A Chimamanda consegue ter uma percepção do mundo muito precisa, muito crítica, ela tem uma sensibilidade absurda e consegue juntar luta e crítica numa história com personagens vivos, sensíveis, desses que ficam com a gente muito depois do livro acabar. Americanah mexeu MUITO comigo. Outra grande inspiração pra mim é a Amy Poehler, que é uma atriz e comediante incrível, e tudo que ela encosta é maravilhoso. Além da mensagem que ela passa com seus personagens e as críticas que ela faz a Hollywood, etc, a Amy tem um projeto muito bacana que é o Smart Girls, um site pra garotas que é cheio de coisas incríveis e mulheres maravilhosas, conselhos pra vida, enfim. Por último, a Tavi Gevinson. Eu poderia dizer que quando crescer quero ser a Tavi, mas ela é mais nova que eu! HAHAHA a Tavi ficou muito famosa na internet quando ainda era criança, porque ela abriu um blog de moda e usava umas roupas muito loucas. Além da atenção que ela chamava pelos looks cheios de informação, que às vezes pareciam que ela tinha colocado todas as roupas do armário da vó de uma vez, ela tinha muita informação de moda, os textos eram incríveis e divertidos, contavam histórias e tal. Com o tempo ela foi crescendo, desencanando da moda, e aí lançou a revista Rookie, que pra mim é literalmente a coisa mais legal da internet. Ela quis fazer uma revista teen que falasse sobre tudo que as revistas teens falam e tudo que elas não falam, e ela trata garotas adolescentes como gente de verdade e a forma como a revista aborda tudo (de primeiro beijo a apropriação cultural e relacionamentos abusivos) é sempre muito incrível e inspiradora.



E o bônus, que eu vou fechar o olho e falar as três primeiras coisas que me vierem na cabeça, ok?
3 coisas que gosto muito: pizza, livros e mar!


- Pizza porque é meu prato preferido e acho que qualquer coisa fica melhor se tem pizza pra acompanhar. A vida nunca é tão ruim quando se tem uma pizza no meio.


- Livros porque eles permitem que ao mesmo tempo que a gente explore o mundo, a gente se esconda um pouco dele, mas sempre se encontrando no meio das páginas e histórias.


- Mar porque é a coisa mais incrível da natureza, a coisa mais bonita, que sempre me lembra que Deus existe.

Encontre a Anna:
@loveology_x
So Contagious
So Contagious @ Facebook
Mia Fernandes

o que você precisa saber antes de comprar/adotar um cachorro

Olá, meninas!

Como toda boa criança que se preze, passei boa parte da minha infância insistindo que minha família adicionasse um "membro canino" em nossa árvore genealógica.

É óbvio que naquela época eu não tinha sabedoria suficiente para compreender o motivo do constante não aos meus pedidos. Quem é que não quer ter um cachorrinho? Eles são fofos, carinhosos e estão sempre fazendo festinha!

O que eu não entendia é que cachorros também são um grande sinônimo de responsabilidade (vamos concordar que a pequena Monique não era nenhum exemplo do que é ser responsável).

Cachorros precisam de carinho. Eles precisam de atenção e cuidados. Será que você está pronta para este compromisso?

Vamos começar com algumas perguntas básicas:

O meu cachorrinho Ringo é o modelete desse post

Questões que você precisa responder antes de comprar/adotar um cachorro:
- Eu tenho tempo para o meu cachorro?
Se você é do tipo que está sempre no trabalho, viajando e raramente está em casa, talvez seja melhor pensar bem antes de ir atrás de um companheiro de quatro patas. Se tempo é um problema para você, talvez seja melhor procurar uma raça que não seja tão dependente/carente e que consiga se virar por conta própria.
Entretanto, é essencial que você tenha algum tempo para brincar e levar seu cachorro em passeios. Não se esqueça que a situação é tão nova para você quanto para ele. Ambos precisam se adaptar com essa nova realidade e isso exige tempo!

- Meus vizinhos aceitam cachorros?
Para quem mora em apartamento, o primeiro passo é se informar sobre a política do prédio quanto à animais de estimação. Seus vizinhos toleram cachorros? Seu cachorro pode frequentar a área comum do prédio? Os outros moradores são do tipo que se incomodam com o mínimo barulho? - e não se esqueça que cachorros latem. É sempre bom ter as respostas para essas perguntas antes de ir atrás de um cachorrinho (acho que ninguém quer confusão com vizinho, né).

- Um cachorro entra no seu orçamento?
A lista de compras de um cachorrinho sempre deve ser levada em consideração. Você pode disponibilizar uma parcela do seu salário/mesada para os gastos? Não se esqueça que existem vacinas, banhos, visitas ao veterinário, ração (spoiler: ela não é barata), petiscos, brinquedinhos e muitas outras coisinhas que seu cachorro precisará. 

No livro "Como Criar o Cão Perfeito Desde Filhotinho", o encantador de cães, Cesar Milan, faz uma lista do que você vai precisar para receber um cãozinho em sua casa:
- Ração saudável para filhotes ou cães aprovada por seu veterinário
- Vasilhas para comida e para água
- Coleira e guia
- Etiquetas de identificação
- Suprimentos de higiene
- Tapetes higiênicos
- Ossos mastigáveis feitos de materiais naturais 
- Guloseimais aprovadas por seu veterinário para oferecer de recompensa
- Sacos plásticos ou pá para cocô
- Cama ou colchão para dormir
- Uma variedade de brinquedos


Se suas respostas para essas perguntas foram positivas, acho que você já está preparada e ciente das responsabilidades básicas de se ter um cachorrinho. O próximo passo é começar a busca pela sua alma gêmea canina.

Você tem duas opções: adotar ou comprar. Não entrarei nos méritos da adoção e nem nas desvantagens da compra, mas eis algumas coisas que talvez seja necessário saber:

Compra: Vá conhecer onde os cães são criados. Analise bem o ambiente (eles estão sendo bem alimentados? Existe um espaço de alimentação bem separado do espaço de necessidades? Eles estão cruzando cachorros da própria família para obter lucro?). Não tenha vergonha de fazer perguntas para o criador: você está dentro do seu direito.

Adoção: O seu cachorro foi um resgate de maus tratos? Ele foi encontrado na rua? Ele tem algum hábito, alergia ou medo específico? Tente conhecer ao máximo a história de seu cãozinho: isso é importante e te ajudará na hora de criá-lo com muito amor e carinho!

Por fim, não se esqueça:
- O adestramento pode levar meses
É frustante ver o seu tapete favorito sujo de urina, mas não se esqueça que ficar brava e sair gritando com seu cachorrinho não é a solução. Insista no treinamento adequado e o recompense pelos acertos. 

- Leve seu cãozinho para passear
Ele precisa conhecer novos ares, pessoas e socializar com outros cãezinhos. Talvez ele não curta muito a ideia de sair de casa (o Ringo é um ótimo exemplo disso), mas insista aos poucos.

- Higiene é importante
Ou seja: não se esqueça de levar seu companheiro para tomar banho, cortar as unhas, escovar os dentes, aparar os pelos e etc...

- Tome cuidado com plantas e alimentos tóxicos
Isso é bem importante: algumas plantas e alimentos são altamente perigosos para os cães. Aqui você pode ver uma lista das plantas tóxicas e também uma lista de alimentos que precisam ser evitados.

- Dê muito muito muito amor ao seu bichinho
Acho que essa dica nem precisava ser dita, né? Você será responsável por uma vida e isso pode ser tão mágico quanto assustador. Não se esqueça que muitas vezes, o seu cachorro só precisa da sua atenção e carinho para ficar satisfeito. Se prepare para amá-lo muito!

Quem aí tem um cachorrinho? Compartilhe suas dicas com quem está pensando em ter um pet para chamar de seu! Vejo vocês nos comentários =)
Mia Fernandes

cool cool cool: a edição de domingo #12

Olá, meninas!

Quem está animada para conferir os links da semana? Então, cola na minha e vem brilhar:

Os cinco posts que você precisa ler
♥ O Mundo de Jess // Cinco blogs geeks para você conhecer e acompanhar
Para vocês que curtem assuntos geeks, não deixem de conferir esse post ótimo do Mundo de Jess. Eu adoro os blogs indicados e também os recomendo para vocês!

♥ Coisas de Diva // Livros em Francês: 12 títulos para ler já!
Você curte literatura francesa (ou livros que se passam na França)? Esse post está recheado de dicas maravilhosas para quem quer explorar novos livros.

♥ Borboletas na Carteira // 7 restaurantes em São Paulo para você levar seu cachorro
Como o Ringo não consegue ficar sozinho em casa, uma das poucas soluções que imagino para este empecilho, é começar a levá-lo como meu acompanhante nos lugares. Se você é de São Paulo, vamos marcar uma comidinha com nossos pets? Me mande uma mensagem!

♥ E aí, beleza // 3 maneiras de ajudar suas séries favoritas a não serem canceladas
UTILIDADE PÚBLICA. Você sempre fica chateada quando o seu seriado é cancelado? Então, você precisa conhecer essas maneiras de ajudar suas séries favoritas.

✪  Recuperando a fé na humanidade
Taylor Swift doa R$ 45 mil à família vítima de acidente de carro
Meta de vida: crescer e ser tão boa e caridosa quanto a Taylor Swift.


✪  Dose de cultura pop
♥ Buzzfeed // E se Jogos Vorazes fosse filmado no Brasil?
Posso fazer uma pequena confissão? Eu curti bastante esse elenco e provavelmente assistiria uma versão brazuca do filme #SorryNotSorry

♥ Jovem Nerd // YouTube apresenta sua plataforma dedicada a games
Eba! A plataforma YouTube Gaming promete: “Descubra novos favoritos com as recomendações baseadas nos jogos e canais que você ama,” diz o YouTube. “E quando você quiser algo específico, pode pesquisar com confiança, sabendo que digitar ‘call’ vai resultar em ‘Call of Duty’, não ‘Call me Maybe'”.

♥ G1 // Christopher Lee, lendário ator britânico, morre aos 93 anos
Quem aí nunca assistiu um filme do icônico Christopher Lee, não sabe o que está perdendo. O ator que faleceu na semana anterior, esteve em praticamente todas as "franquias nerds" de sucesso dos últimos anos, entretanto, o lembrarei sempre pelas suas participações nos filmes clássicos de terror da Hammer Films. Descanse em paz, Sir Christopher Lee!

♥ Papel Pop // “Meninas Malvadas” vai ganhar jogo para smartphones
SO FETCH! Já estou ansiosa para poder jogar Meninas Malvadas no meu celular. Se segura que aí vem outro vício no estilo do jogo da Kim K.



✪  Queridinhos da semana
♥  Música: Seven Nation Army - Zella Day
♥  Seriado: Orange is the New Black
♥  Blog: Esquisitices de Sophie
♥  Vídeo: Something I Want You To Know (Coming Out) - Ingrid Nilsen
♥  Livro: Hyperbole and a Half - Allie Brosh
♥  Filme: Não assisti nada essa semana =(
♥  Desejo: Podcastudio Recording Kit Usb Behringer

Agora é a sua vez: me conte o que você viu de interessante durante essa semana. Compartilhem seus links nos comentários!
Mia Fernandes