-

para viciar: daria

Sexta-feira chegou e você sabe o que isso quer dizer, né? Vai ter muita curtição, altas zoera e muito flerte fatal. 

#sqn

Para você que está pensando em aproveitar esta maravilhosa frente fria, para ter uma desculpa socialmente aceitável para ficar debaixo das suas cobertas, curtindo um Netflix de boinha com seu pote de Paçoquita Cremosa: este post é pra você!

Para lhe poupar do trabalho que é analisar minuciosamente todo o catálogo do serviço de streaming, estou aqui para indicar um dos melhores desenhos que já vi: Daria

Originalmente, este desenho foi exibido no começo dos anos 2000 pela MTV gringa e acompanhava as ~aventuras~ de Daria Morgendorffer, uma adolescente reclusa e dona de um humor peculiarmente ácido.
Ao todo, Daria rendeu três temporadas (todas disponíveis para o seu bel prazer no Netflix) e também ganhou dois filmes! Entretanto, confesso que minha maior realização seria poder assistir uma produção live action do desenho! Já imaginou como seria?


Bem, o College Humor já. 

Por fim, separei alguns cosplays BEM bacanas para vocês! Olha só quanta criatividade e capricho:



Mia Fernandes

life actually #4 - um resumo dos meus dias

Olá!

Tô aqui pra apontar o óbvio ululante: andei sumida. Precisei me afastar de diversas atividades – o blog incluso – para poder colocar minha cabeça no lugar. Após uma série de reflexões e decisões, o padrão que detectei em todos os meus problemas é um medo singular de envelhecer.
Sempre abordo o tema da forma mais sutil possível. Uso o humor para mascarar os anos que se passam rápido demais. Desvio de assuntos relacionados à minha maturidade com comentários sobre o Renew +25 que estou usando.

Não mais.

Este mês decidi que vou envelhecer. Crescer tudo o que evitei nos últimos tempos. Abraçar todo este conhecimento e saborear a sabedoria do amadurecimento.

Desde que tomei esta decisão, uma série de coisas já aconteceram na minha vida:

- Pedi demissão do meu emprego atual. 
- Consegui colocar um ponto final num relacionamento tóxico que me destruía.
- Decidi correr atrás do que quero e acredito que me fará bem.

Desde então, eu durmo melhor, como melhor, sonho melhor e vivo melhor. É como se eu tivesse exorcizado o demônio da Monique Adolescente, que não queria sair desse corpo de jeito nenhum.

Após esta introdução inspirada, tá na hora de recapitularmos os últimos dias:

Por onde andei? Me tranquei bastante em casa. Chorei. Desisti de tudo. Tomei coragem novamente. Li bastante. Pensei na vida. Refleti sobre a morte. Decidi que quero viver, viver e viver.

O que estou lendo? Terminei The Man Repeller da Leandra Medine e posso dizer que o livro é incrivelmente charmoso e inspirador. Adorei o estilo autodepreciativo da autora e como já disse anteriormente, vicei no blog dela.
Agora estou quase na metade de Fangirl da Rainbow Rowell e é só amor e paixão por este livro. Faz tempo que uma obra não mexe tanto comigo, sabe? Parece que ela está escrevendo pra mim e exclusivamente sobre mim.

O que estou assistindo? Minha vida anda sendo uma maratona eterna de Bob’s Burgers, Criminal Minds e Lie To Me. Faz um bom tempo que não assisto nenhum filme, mas recentemente vi o The Lego Movie e curti bastante (bem fofo e criativo).

O que estou ouvindo? Tô ouvindo bastante “Shake it Off” da Taylor Swift e ansiosa demais pelo novo CD dela. Também ando bem saudosista e estou redescobrindo os hits das Spice Girls. 

E vocês, como estão? Me contem as novidades aí nos comentários!

Mia Fernandes

como sair da sua zona de conforto


Eu me demiti. Gostaria de dizer que foi uma decisão fácil e que me trouxe muito alívio, porém, a perspectiva de não ter outro trabalho engatilhado me encheu de dúvidas. Já estava com a ideia fazia algum tempo na cabeça, somente esperando o momento em que ela estaria madura suficiente para que eu formalizasse esta vontade.

Após muito choro e crise nervosa, hoje me sinto liberta. Pela primeira vez em minha vida, estou saindo da minha zona de conforto. Estou aberta para novos projetos e formas diferentes de viver minha vida.
Nunca havia experimentado tal sensação antes. Poder acordar todos os dias e me lembrar de que tomei uma decisão que pela primeira vez, me beneficia antes de beneficiar a qualquer um.
Com esta energia e pique que me foram devolvidos, resolvi que estava na hora de romper todas as correntes que ainda me prendiam numa zona de pretensa segurança.

É óbvio que este processo será longo e não se completará do dia para a noite. Entretanto, estou aqui para dividir com vocês algumas decisões que podem mudar o seu jeito de viver para a melhor.
Estão preparadas? Então anotem aí:


Nunca mais use a frase “Tenho que”.
Eis um segredo que poderá mudar sua imagem mental da vida. Toda vez que nos impomos alguma obrigação, colocamos mais um tijolinho ao redor da zona de conforto. Você não “tem que” coisa nenhuma! Quem disse que tem que trabalhar? Que tem que estudar? Tem que agradar aos outros? Se você realmente quer mesmo usar um “tem que” em sua vida, a partir de hoje, só pense que tem que ser feliz.


Escute as outras pessoas
Tá aí um exercício que me foi muito complicado. Às vezes escutar ao próximo é quase tão complicado quanto sair da zona de conforto em si. Todavia, é importante reconhecer outras linhas de pensamento e visões. Talvez, nesta experiência, você acabe encontrando aquele sentido que tanto buscava para si.


Faça uma coisa diferente por dia
Agora estamos na parte divertida: tente fazer ao menos uma coisa completamente diferente todo santo dia. Mude o caminho para o trabalho. Peça algo diferente em seu restaurante favorito. Experimente uma bebida nova. Escute um ritmo de música com o qual você não está acostumado.
Estas pequenas tentativas de “libertação” podem lhe preparar para decisões maiores num futuro próximo.


Não planeje
Tá aí algo que me deixa MA-LU-CA! Sou bem organizada com meus compromissos e fazer algo simplesmente por fazer, está fora de cogitação pra mim! Estou me esforçando todos os dias para aproveitar o momento e pirar um pouco menos nos meus planos.


Evite o stress
Já reparou que ficamos excepcionalmente estressados quando as coisas não vão do jeito que planejávamos? A lição mais importante aqui é parar de esperar tanto das situações e das pessoas. Quando simplesmente aceitamos a adversidade e levamos tudo como aprendizado, paramos de nos sentir tão estressados o tempo todo!
Toda vez que sinto que estou ao ponto de surtar, me desligo do mundo, coloco um mantra e tento relaxar. Nunca tome suas decisões com a cabeça quente!

Por fim, queria relembrar que a mudança não ocorrerá do dia para a noite. Talvez você precise de um tempo para processar melhor e aceitar de peito aberto esta nova vida. Mas o meu conselho mais importante aqui é: não desanime! Tem uma vida maravilhosa te esperando aqui fora da zona de conforto! =)


Mia Fernandes

calibrando o gaydar: saiba se aquele cara é gay.


Olá, migas! Estava morrendo de saudades.

Essa semana, vamos falar de um tema muito complexo e polêmico.

Como descobrir se aquele boy magya é gay ou hétero?

Hoje em dia, não adianta mais olhar coisas básicas como: roupas e músicas. Os heterossexuais estão usando calças justas, camisetas decotadérrimas, fazem a sobrancelha, passam base nas unhas, cuidam do cabelo e ouvem Lady Gaga. E por isso, precisamos ir mais fundo nessa análise.

Por mais que algumas atitudes sejam extremamente “viadas”, principalmente para aquelas mulheres que preferem homens rústicos, considerar que um cara é gay por conta desse tipo de coisa, é um erro horrível, pois além de ser preconceito (já que se está julgando alguém pela aparência), você pode perder uma oportunidade incrível.

Dizem que os metrossexuais são mais sensíveis, podendo proporcionar uma experiência incrível para aquela mulher que sempre quis ser ouvida e ser entendida. Fica aqui a primeira dica: não limite suas vontades e desejos. Por mais que você tenha atração por um determinado tipo de homem, permita-se conhecer outros tipos, você pode se surpreender.

Agora vamos para o check-list básico para diferenciar o boy que pode te pegar do que não te pegaria nem muórta!

- Observe para onde ele olha: se ele for gay, provavelmente estará olhando para outros caras. Se não for, vai olhar para mulheres.


- Observe a dança: gays dançam muito mais soltos e costumam mexer muito a cabeça (rebolar não é necessariamente bichice, ein).


- Chegue perto: se ele estiver conversando com alguém, você pode tentar ouvi-lo. Preste atenção nas gírias e nos gestos (ignore as gírias se ele estiver com muitos gays, pois um hétero que convive com “as bees”, pode estar acostumado a usar as gírias).

Se mesmo assim, você ainda estiver em dúvida.

Gata! A dica máster é: PERGUNTE.

Se for um rapaz que faz amor com o bumbum, ele não irá se ofender e você poderá fazer mais um amigo gay. Se for macho, ele vai fazer questão de te provar isso, e com isso, sua noite poderá terminar de uma forma bem gostosa.

Prontinho. Agora vocês, minhas queridas amigas, já sabem como matar aquela dúvida que pode destruir uma noite.

Bjokas! E até a próxima semana.
Mia Fernandes