-

cinco dicas para se tornar um profissional de mídias sociais


Estou há cerca de 04 anos trabalhando no mercado digital e há 02 anos trabalho exclusivamente com mídias sociais. Confesso que no início não foi muito fácil, a profissão estava em uma fase muito embrionária e não era simples convencer um cliente de que ele deveria investir seu suado dinheiro em redes sociais.

Mas o mercado e sua mentalidade estão completamente mudados. Os consumidores também optam por procurar a internet muito antes de ir na loja física registrar uma reclamação. Com isso, a importância de um profissional especializado em mídias sociais está crescendo e infelizmente, a proporção de profissionais realmente competentes está diminuindo.

Se você está pensando em ingressar neste mundo, é preciso se preparar e construir um ótimo currículo! Vou contar pra vocês algumas dicas que me ajudaram muito a me estabelecer como social media:

01. Formação
Não é obrigatória, mas raros são os casos em que não optam por um profissional de Comunicação para ocupar a vaga (preferencia para publicitários e jornalistas). Entretanto, muitas agências contratam profissionais com uma formação diferente e que podem, com seu conhecimento, trazer novas ideias e visões para uma equipe.

Para quem não sabe, sou formada em Design Gráfico e Digital, especializada em Criação Publicitária e Planejamento de Campanha. Fui parar em Mídias Sociais e me apaixonei. Sempre escrevi bem e com a minha noção de arte, trouxe uma vertente mais criativa para os meus clientes.

Então, a dica aqui é: especialize-se! Busque conhecimento e faça aquilo pelo o que você é apaixonado. Isso conta muito no currículo e é um baita diferencial.

02. Crie
No ramo de mídias sociais, existem diversas ramificações (conteúdo, relacionamento, SAC 2.0, monitoramento, seeding, planejamento e análise de relatórios), mas acho que criatividade é uma qualidade que qualquer profissional de mídias sociais deve ter desde o berço.

Só que para quem está começando e ainda não tem trabalhos legais para mostrar, fica um pouco mais complicado comprovar a criatividade, não é? Meu conselho é que você crie algo próprio.

A dica mais óbvia é criar um blog. Fale dos assuntos que você gosta e entende. Mostre seu poder de escrita e imaginação. Nunca fiz uma entrevista para um cargo da área em que ninguém perguntasse se eu tinha algum site em que pudessem ler meus textos. Nunca deixe de criar!

03. Se mantenha atualizado
Isso é essencial. Mídias sociais é uma área em que as mudanças ocorrem do dia para a noite e sem aviso prévio. É importante manter uma lista de blogs/sites sobre o assunto e ler diariamente para compreender as tendências do mercado.
Outra boa dica é se aproximar de outros analistas. Se você não tem colegas de trabalho, tentem encontrar alguns profissionais via Twitter e os siga (e esta é minha deixa pra falar, me sigam: @moniquelagune). Pra quem não tem tempo de ler todas as notícias deste mundo, às vezes bater um papo com um profissional pode te deixar mais próximo das novidades.

04. Organização
Imagina só trabalhar com Facebook, Instagram, Twitter, Pinterest, Tumblr, Blog e etc...? O que para alguns pode parecer um paraíso, para muitos é um verdadeiro inferno. Se você não tem um bom senso de organização, eis uma ótima oportunidade pra criar um. É muito complicado lembrar-se de todas suas responsabilidades e balanceá-las com sua vida real.

Use uma agenda. Procure aplicativos para lhe lembrar do que precisa fazer. Crie uma rotina. Faça double check em tudo que fizer. Neste meio, todo cuidado é pouco.

05. Fique offline
Se eu pudesse escolher qual dica é mais importante, escolheria essa. Amo as redes sociais, mas às vezes preciso me desligar um pouco para desintoxicar da tecnologia. Não virar um escravo da internet, é o primeiro passo para ser um profissional bem sucedido - e não terminar no hospício quando a rede da agência cair por meia hora.

É offline que tenho minhas melhores conversas, melhores insights e conheço os melhores profissionais. Explore a vida além da tela e divirta-se!

Você tem mais alguma dúvida a respeito da carreira de mídias sociais? Me mande uma pergunta nos comentários que responderei com o maior prazer!
Mia Fernandes

blogagem coletiva: discos da minha vida


Além do meme com os cinco personagens que eu gostaria de ser, o Rotaroots propôs uma temática muito divertida para a blogagem coletiva de Abril: Discos da minha vida.

Como dependo de música para existir desde sei lá quando, talvez este seja um dos posts mais complicados que já escrevi aqui, simplesmente pois tá impossível selecionar apenas alguns álbuns importantes, quando tudo parece fazer parte da história da minha vida. 

Depois de um longo processo seletivo, tentei escolher aqueles que de alguma forma mudaram a forma como eu ouvia música e abriram novas portas para gêneros e experiências diferentes das quais eu estava acostumada.


01. Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band -  The Beatles
Sei que é um pouco clichê dizer que sua formação musical começou com The Beatles, mas estaria mentindo se omitisse esse fato. Creio que grande culpa é da minha mãe, por me introduzir ao Anthology e também pelo responsável pelo design gráfico daquele encarte - já que eu passava horas e mais horas folheando enquanto escutava as músicas.
Eventualmente, Sgt. Pepper's se tornou meu álbum favorito da banda, principalmente por ter aquela música dos Anos Incríveis que eu tanto amava na época.  


02 - Spice - Spice Girls
Tá, não vou mentir e negar que alguma vez eu tenha pegado num bambotchan, alguma vez durante a infância. Se duvidar, deve até ter rolado uma boquinha da garrafa que minha memória seletiva apagou para evitar futuros traumas. 
Mas o que realmente marcou esta época da minha vida foram as boys/girls bands dos anos 90. Sinto que Spice, das Spice Girls, foi quem abriu todo esse universo para mim e despertou algo que parecia estar adormecido dentro de mim: um gosto por coreografias mirabolantes e músicas contagiantes (sem contar o Girl Power, a primeira manifestação da feminista que existia dentro de mim). 


03 - Never Mind The Bollocks - Sex Pistols
Aí eu envelheci um pouco. Cheguei na tão temida adolescência. Já não era mais aceitável - publicamente - andar por aí com o penteado da Baby Spice e eu comecei a procurar novas alternativas de canções que se encaixassem bem em minha revolta juvenil. Foi aí que conheci a história louca do Sid e da Nancy e eventualmente só passei a ouvir punk rock - em especial, Sex Pistols.
Confesso que não escuto mais 90% das músicas que meu eu de 13 anos ouvia e achava incrível, mas Sex Pistols sempre terá um lugar especial no meu coração. 


04 - Dummy - Portishead
Com o incrível ~advento da internet~, um novo universo de bandas se abria em minha vida. Nem sei quantas madrugadas passei pendurada naquela internet discada, tentando baixar pelo menos umas cinco faixas dos meus álbuns favoritos. Vira e mexe, surgia alguma banda da qual eu não tinha ouvido falar e acabava passando a próxima meia hora, baixando uma faixa de algum álbum aleatório pra saber como era (a vida não era fácil).
Foi assim que conheci Portishead e comecei a me aprofundar em um dos meus ritmos favoritos até hoje: trip-hop. Óbvio que essa meia hora na qual baixei Sour Times, se transformou em muitas horas baixando todo o Dummy e me apaixonando pela voz da Beth Gibbons


05 - Bloco do Eu Sozinho - Los Hermanos
Caso vocês já não tenham percebido nesta altura do campeonato, confesso que eu era a maior paga pau de gringo. Não escutava MPB, samba e rock nacional estava completamente fora de cogitação.
Aí veio o Los Hermanos e mudou todos esses pré-conceitos idiotas que eu tinha da música brasileira. Uma das minhas maiores realizações, sem sombra de dúvidas, foi poder ter assistido um show desses caras ao vivo (e poder cantar a pleno pulmões cada uma daquelas músicas que amo tanto em meu idioma nativo).


06 - In Rainbows - Radiohead
Radiohead é minha banda favorita. Mas o álbum que definitivamente conquistou este lugar para a banda do Thom Yorke, certamente foi o In Rainbows. Completamente diferente dos outros álbuns da banda, este é cheio de batidas mais eletrônicas, o que para muitos fãs foi decepcionante. Mas não ao meu ver. 
Achei este álbum todo revigorante. Desde às tão infames batidas até as letras de cada canção, isso para mim é Radiohead em seu ápice criativo. 


07 - Back to Basics - Christina Aguilera
Aí eu cresci mais um bocadinho e percebi que não havia absolutamente nada de errado em curtir um popzinho maroto. Então me vem dona Christina Aguilera e lança este álbum maravilhoso que escutei até meus ouvidos sangrarem (o que obviamente não ocorreu, já que a voz dessa moça é o símbolo do poder vocal). Infelizmente, este parece ter sido o ápice da carreira dela, mas sempre que anunciam um novo álbum da Xtina (sou íntima), fico na esperança pra ser um Back to Basics Parte II. 


08 - 21 - Adele
Um belo dia, minhas inimigas resolveram se juntar e lançar uma praga horrível na minha vida amorosa que desde então, só andou pra trás, para os lados, pra baixo, pra cima, mas nunca pra frente.
Já curtia muito o trabalho da Adele desde o 19, mas ela ganhou meu coração ao me consolar em cada dor de cotovelo com o 21. Sério, não tem uma música desse CD que eu não tenha uma história pra contar.
Obrigada por me acompanhar em minha darkest hour, Adele


09 - Sigh No More - Mumford & Sons
Por fim, fica aí o CD que marca a pessoa que me tornei hoje. Cheia de camadas tal como o Sigh No More do Mumford & Sons. Se eu pudesse escolher um álbum que fosse a minha personificação, certamente seria esse. Para quem vê de fora, talvez tudo o que consigam observar é a tristeza, mas ainda há alegria e principalmente, esperança em abundância. 


Mia Fernandes

cool cool cool: a edição de domingo #1


Domingo é oficialmente o dia da preguiça, não é? Cá estou eu, de pijama, incrivelmente feliz por ter
desistido da ideia de ir ao Lollapalooza e economizando aproximadamente 500 reais com ingresso, bebidas e táxi. Para comemorar esta incrível (e espantosa) decisão coerente de minha parte, hoje resolvi estrear uma nova categoria aqui: A Edição de Domingo.

O que é, da onde vem e do que se alimenta A Edição de Domingo?
Todo domingo, eu faço um apanhado das coisas mais incríveis que vi na internet durante a semana. Às vezes minha rotina é tão louca que não sobra muito tempo para saborear estas pequenas descobertas, portanto, domingo será o dia em que nós falaremos sobre o tudo, o nada e muito mais.  

Então, vamos ao que interessa: eis um apanhado de tudo que há pra ser de interessante no mundo na internet.

Particularmente, sou um desastre quando o assunto é penteados. Fiquei muito feliz ao encontrar esta lista do Buzzfeed com 29 truques (incrivelmente simples) para garantir um penteado legal!

O Japão, sendo o país tremendamente cool que é, tem uma loja de roupas toda inspirada em Sailor Moon. O Fashionably Geek tem algumas fotos bem legais para mostrar!


Japão, sendo superior desde sempre.

→ Community, mostrando para o mundo que ainda é o seriado mais bacana da televisão, teve um episódio todo no estilo de G.I. Joe. Olha só essa abertura:


→ A Páscoa está chegando, eu estou fugindo do chocolate como o diabo foge da cruz, mas se alguém quiser me dar um ovo geek decorativo como esses que estão no Pop Sugar, eu aceito de bom grado.

→ Hoje temos a volta de Game of Thrones! Pra animar um pouco, que tal ver as mortes da série em 8bits no GeekCafe?

Tente não assistir isso em um loop eterno.

→ Se você é meu amigo, chegado ou simplesmente um mero conhecido, já deve ter me ouvido falar sobre Frozen em algum momento dos últimos meses, certo? Então, vem ver a Kristen Bell, dubladora da Anna, cantar Do You Want to Build a Snowman ao vivo.

→ E já que estamos falando de Frozen, tem também uma paródia da Harley Quinn cantando Do You Want To Kill The Batman <3

→ Não sei vocês, mas eu tô meio que apaixonada por esse catálogo da Barbie dos anos 90! Melhor época.

Meu sonho era ter um furgão da Barbie!

→ Quer saber quanto tempo você já perdeu assistindo séries? Então, vai lá no Papelpop e faça o teste, pois eu não tenho coragem de saber o meu resultado.

→ Como eu não ligo de passar meus melhores anos na frente de um monitor, ontem foi o SNL com a Anna Kendrick e a abertura foi a melhor coisa que vi este mês (e você também deveria ver).

→ Quer saber como seria sua vida em 1964? A Superinteressante te mostra como seria viver na ditadura.

→  Se você é de São Paulo, precisa conhecer o Gibi, um bar geek muito legal!

 E aí, você viu algum link legal esta semana e gostaria de compartilhar? Deixe um comentário!


Mia Fernandes